Categories
Autoconhecimento

O que você faria independente do resultado?

Compartilhe esse post nas suas redes sociais

No coração da inércia mora a negação do processo.

A gente se vicia na sensação de ter uma entrega acabada, um resultado concreto, mas poucas são as pessoas que se dispõem a viver o dia a dia do seu trabalho.

Queremos “ter escrito” ao invés de “escrever”.
“Ter lançado” ao invés de “lançar”.
“Ter produzido” ao invés de “produzir”.

A gente curte ter dominado a técnica, a tática, a obra… Por hábito consumista, criamos uma obsessão com o produto.

Só que a criação não é a forma final – ela vive no fazer.

De uma forma ou de outra, nenhum ato criativo (seja isso um produto novo ou uma novela de ficção) termina de forma definitiva. Sempre há algo a aprender com ele, e a chave tá aí mesmo: no aprendizado.

Anos depois de um lançamento, você pode pensar no que faria de diferente se tivesse a experiência que tem hoje.

O trabalho concluído simplesmente aponta o caminho pra melhoria contínua.

O que você faria independente do resultado?

Viver o processo é o que nos dá o maior senso de aventura.

Quer deixar sua marca em qualquer conteúdo que você escrever?

Se inscreva nesse mini curso gratuito pra descobrir como usar sua voz e se destacar num mundo que não para de falar.

Você vai receber todo o conteúdo diretamente na sua caixa de entrada, 2x / semana, junto com exemplos e exercícios. Tudo isso de uma forma simples e fácil de digerir.

Inscreva-se agora:
Marketing por

Compartilhe esse post nas suas redes sociais

Leave a Reply

Your email address will not be published.